Home arrow Universidade de Viseu arrow SE VISEU NÃO TEM UNIVERSIDADE PÚBLICA DEVE-O, EM PRIMEIRO LUGAR, A FERNANDO RUAS E AO PSD
Menu
Home
Notícias
Documentos
Agenda
Jovens
Comunidade
Opinião
Vídeos - Documentários
Foto Galeria
Dossiers
SCUT's
Universidade de Viseu
Serviço Finanças 2
Minas da Urgeiriça
Jornadas Parlamentares
Newsletter






a_tuabeira.gif 
     Car@ leit@r esta é uma
     secção sua.
     Uma secção onde serão
     publicadas as opiniões
     que nos enviarem com
     esse fim.
     Os textos deverão ser
     enviados para o e-mail:
      Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o JavaScript terá de estar activado para que possa visualizar o endereço de e-mail
     Não podemos publicar
     textos não assinados
     ou insultuosos.
adere.gif
Assina/segue-nos no:


Recebe automaticamente por email as novas notícias:


Insere o teu email


twitter-birds.png

Add to Google Reader or Homepage 

Outros

 

Site do Bloco de Esquerda de Viseu, Bloco, b.e., Esquerda de Confiança, Juntar Forças, São Pedro do Sul, Vouzela, Tabuaço, Oliveira de Frades, Santa Comba Dão, Penedono, Penalva do Castelo, Nelas, Mortágua, Tondela, Vila Nova de Paiva, Tarouca, Armamar, Resende, Cinfães, Carregal do Sal, Sernancelhe, São João da Pesqueira, Sátão, Coração de Jesus, Rio de Loba, Campo, Abraveses, São José, Orgens, António Minhoto, Osvaldo Numão, Maria Graça Pinto, Carlos Vieira, Carlos Couto, Daniel Nicola, Bandeira Pinho, Alexandrino Matos, Rui Costa, Joel Campos, António Amaro, Manuela Antunes, Carla Mendes, Joge Carneiro, Padre Costa Pinto, Francisco Louçã, Marisa Matias, Miguel Portas, Pedro Soares, Magaça

SE VISEU NÃO TEM UNIVERSIDADE PÚBLICA DEVE-O, EM PRIMEIRO LUGAR, A FERNANDO RUAS E AO PSD PDF Imprimir e-mail
08-Jan-2010

Comunicado

 O anúncio do ministro Mariano Gago da criação de um curso de Medicina na Universidade de Aveiro (UA) veio provocar uma onda de indignação por parte do PSD/Viseu e, em particular, de Fernando Ruas que já decidiu apelar a uma nova mobilização dos viseenses.
 O Bloco de Esquerda demarca-se desde já deste alarido hipócrita e acusa mais uma vez os partidos que têm tido responsabilidades, de forma rotativa, no governo do país de serem os responsáveis pelo facto de Viseu não ter uma Universidade Pública, por não terem sabido apresentar uma projecto credível, enredados em compromissos, repetidamente assumidos, de não beliscar os interesses particulares dos estabelecimentos de ensino superior privado, (cooperativo e concordatário) existentes em Viseu. Por isso é que todos os projectos apresentados pelo PSD não passaram de logros, como o projecto de Veiga Simão que mais não era do que “oferta pública de ensino privado”, como denunciámos oportunamente, ou como a “universidade telemática”, apadrinhada por Almeida Henriques, que  não passava de “ensino à distância”, quando a Universidade Aberta já tinha um Centro de Apoio na Escola Superior de Educação de Viseu.
 

De igual forma, o estudo que Correia de Campos coordenou para a instalação de um Curso de Medicina em Viseu só poderia ser implantado na Universidade Católica ou no Piaget, uma vez que Viseu não tinha nenhuma universidade pública que o promovesse, como aconteceu com a Universidade da Beira Interior. Por isso, a manifestação em Viseu, contra o Governo de Guterres por preferir a Covilhã à “candidatura” de Viseu foi um aproveitamento hipócrita e demagógico. 
 A grande oportunidade perdida foi, sem dúvida, a do projecto do Governo de Guterres de criação em Viseu de uma unidade orgânica da Universidade de Aveiro (com a designação de Instituto Universitário) que, embora também não se destinasse, inicialmente,  a cursos de licenciatura, acabaria por ganhar autonomia ao fim de seis anos. Mas, nessa altura, houve quem sobrepusesse preconceitos “bairristas” aos interesses da região. Foi o caso de Fernando Ruas que confessou à comunicação social que não gostaria de passar à porta da Escola e ver uma placa a dizer “Universidade de Aveiro”. O veto do Presidente da República fez a vontade ao PSD de Durão Barroso,  e Viseu desperdiçou uma oportunidade única de ter ensino universitário público que hoje já teria ganho autonomia administrativa em relação à Universidade de Aveiro.
 Agora, ironia do destino, é a Universidade de Aveiro que vê recompensados os longos anos de trabalho preparatório que culminou num consórcio com o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto e parcerias com vários hospitais, incluindo o de São Teotónio de Viseu.
 Resta aos viseenses lutar pelo reforço do ensino superior público existente em Viseu, exigindo a transformação do Instituto Politécnico em Universidade Politécnica, com a passagem da Escola Superior de Saúde, subaproveitada, para Faculdade de Medicina, de acordo com a moção apresentada pelo Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal de Viseu, em 29.12.2008, aprovada sem nenhum voto contra. Pelo relato de Fernando Ruas da reunião que teve com Mariano Gago, o ministro só invocou contra esta solução o argumento financeiro. É este muro pouco consistente que teremos de derrubar, se não nos distrairmos com velhas manobras de diversão.

Pelo Secretariado da Coordenadora Distrital de Viseu do BLOCO DE ESQUERDA
Carlos Vieira e Castro   

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
© 2023 Bloco de Esquerda - Distrito de Viseu
Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.