Menu
Home
Notícias
Documentos
Agenda
Jovens
Comunidade
Opinião
Vídeos - Documentários
Foto Galeria
Dossiers
SCUT's
Universidade de Viseu
Serviço Finanças 2
Minas da Urgeiriça
Jornadas Parlamentares
Newsletter






a_tuabeira.gif 
     Car@ leit@r esta é uma
     secção sua.
     Uma secção onde serão
     publicadas as opiniões
     que nos enviarem com
     esse fim.
     Os textos deverão ser
     enviados para o e-mail:
      Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o JavaScript terá de estar activado para que possa visualizar o endereço de e-mail
     Não podemos publicar
     textos não assinados
     ou insultuosos.
adere.gif
Assina/segue-nos no:


Recebe automaticamente por email as novas notícias:


Insere o teu email


twitter-birds.png

Add to Google Reader or Homepage 

Outros

 

Site do Bloco de Esquerda de Viseu, Bloco, b.e., Esquerda de Confiança, Juntar Forças, São Pedro do Sul, Vouzela, Tabuaço, Oliveira de Frades, Santa Comba Dão, Penedono, Penalva do Castelo, Nelas, Mortágua, Tondela, Vila Nova de Paiva, Tarouca, Armamar, Resende, Cinfães, Carregal do Sal, Sernancelhe, São João da Pesqueira, Sátão, Coração de Jesus, Rio de Loba, Campo, Abraveses, São José, Orgens, António Minhoto, Osvaldo Numão, Maria Graça Pinto, Carlos Vieira, Carlos Couto, Daniel Nicola, Bandeira Pinho, Alexandrino Matos, Rui Costa, Joel Campos, António Amaro, Manuela Antunes, Carla Mendes, Joge Carneiro, Padre Costa Pinto, Francisco Louçã, Marisa Matias, Miguel Portas, Pedro Soares, Magaça

Viseu a Preto e Branco PDF Imprimir e-mail
02-Set-2009
movimento.gifViseu cresceu, mas desenvolveu-se de forma desigual, descontínua e insustentável. Urbanizações desmedidas e grandes superfícies comerciais na periferia à custa do abandono das freguesias limítrofes, da desertificação humana do centro da cidade, da insegurança e da decadência habitacional e comercial no centro histórico.

A reabilitação habitacional do centro histórico tem vinte anos de atraso. Autorizam-se obras de recuperação que desvirtuam a coerência arquitectónica dos espaços. Aproveitou-se mal as verbas do Polis. Exceptuando o parque linear, ficou por fazer o principal: o Parque Urbano da Aguieira e o Centro de Interpretação da Cava.

É esta a herança de 20 anos de gestão autárquica de Fernando Ruas.
 
Conhece Viseu a Preto e Branco
Viseu a PRETO e BRANCO. POR UM CONCELHO MAIS COLORIDO, COM MAIS VIDA!



ORDENAMENTO E AMBIENTE URBANO

Pontos negros:
Centro Histórico desertificado
Vinte anos de atraso na reabilitação de um terço das habitações degradadas no Centro Histórico
Falta de espaços públicos potenciadores da vida colectiva

Pontos em branco ( a colorir pelo Bloco):
Prioridade à revitalização do Centro Histórico, investindo fortemente na reabilitação urbana e no seu repovoamento
Mais espaços públicos que dinamizem a vida colectiva.

MOBILIDADE

Pontos negros:
Trânsito caótico na cidade
Dificuldades de estacionamento
Transportes públicos que não respondem às necessidades dos munícipes

Pontos em branco ( a colorir pelo Bloco):

Parques de estacionamento nas periferias, nomeadamente através do aproveitamento de terrenos devolutos
Transportes públicos mais frequentes, com horários nocturnos em todas as freguesias.
Ligação rápida em transportes públicos à Linha da Beira Alta.

EDUCAÇÃO E CULTURA

Pontos negros:
Subjugação do Ensino Superior Público aos interesses privados, desaproveitando as potencialidades do Instituto Politécnico.
Ausência de uma estratégia de desenvolvimento cultural do concelho.

Pontos em branco ( a colorir pelo Bloco):
A transformação do IPV em Universidade Politécnica com inclusão do Curso de Medicina na Escola Superior de Saúde e criação da Escola Superior de Artes.
Aumento das dotações orçamentais para a cultura.
Programa de apoio a projectos culturais autónomos.
Cedência gratuita do Auditório Mirita Casimiro e do Multiusos para projectos culturais e desportivos.
Existência de animadores culturais em todos os lares.
Centros de Tempos Livres e Cibercentros em todas as freguesias.
Potenciar a Praça 2 de Maio como espaço de cultura e de lazer.

INTERVENÇÃO ECONÓMICA E SOCIAL

Pontos negros
O desenvolvimento do concelho é desigual, como são desiguais as condições de vida da população. Face à crise económica e social, o executivo camarário limita-se a pôr em prática medidas avulsas de carácter assistencialista. O licenciamento exagerado de grandes superfícies e o crescimento de urbanizações na periferia, levou à agonia do pequeno comércio e à desertificação do centro, com o aumento da insegurança.

Pontos em branco ( a colorir pelo Bloco)
Apoio ao pequeno comércio, dando vida e mobilidade ao centro da cidade.
Política orçamental mais transparente.
Redes Sociais de Apoio aos idosos.
Apoio e Casas Abrigo para mulheres vítimas de violência doméstica.
Criação do Conselho Municipal de Imigrantes e Minorias Étnicas.
Criação de um gabinete de acompanhamento de situações de maior pobreza.

PARTICIPAÇÃO CIDADÃ

Pontos negros:
Ausência de auscultação dos cidadãos (ãs) e de uma permanente informação sobre a actividade municipal.

Pontos em branco ( a colorir pelo Bloco):
Informação atempada sobre as reuniões dos órgãos autárquicos.Transmissão, em directo, das sessões da Assembleia Municipal.
A Implementação de mecanismos que promovam a participação cidadã (o orçamento participativo, o aprofundamento do direito de petição e o recurso ao referendo local em questões decisivas para o futuro do concelho)

 

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
© 2023 Bloco de Esquerda - Distrito de Viseu
Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.