Home arrow SCUT's arrow PORTAGENS NAS SCUTS A25 e A24:PS DIZ “ESFOLA” E PSD “ESFOLA TODOS”!
Menu
Home
Notícias
Documentos
Agenda
Jovens
Comunidade
Opinião
Vídeos - Documentários
Foto Galeria
Dossiers
SCUT's
Universidade de Viseu
Serviço Finanças 2
Minas da Urgeiriça
Jornadas Parlamentares
Newsletter






a_tuabeira.gif 
     Car@ leit@r esta é uma
     secção sua.
     Uma secção onde serão
     publicadas as opiniões
     que nos enviarem com
     esse fim.
     Os textos deverão ser
     enviados para o e-mail:
      Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o JavaScript terá de estar activado para que possa visualizar o endereço de e-mail
     Não podemos publicar
     textos não assinados
     ou insultuosos.
adere.gif
Assina/segue-nos no:


Recebe automaticamente por email as novas notícias:


Insere o teu email


twitter-birds.png

Add to Google Reader or Homepage 

Outros

 

Site do Bloco de Esquerda de Viseu, Bloco, b.e., Esquerda de Confiança, Juntar Forças, São Pedro do Sul, Vouzela, Tabuaço, Oliveira de Frades, Santa Comba Dão, Penedono, Penalva do Castelo, Nelas, Mortágua, Tondela, Vila Nova de Paiva, Tarouca, Armamar, Resende, Cinfães, Carregal do Sal, Sernancelhe, São João da Pesqueira, Sátão, Coração de Jesus, Rio de Loba, Campo, Abraveses, São José, Orgens, António Minhoto, Osvaldo Numão, Maria Graça Pinto, Carlos Vieira, Carlos Couto, Daniel Nicola, Bandeira Pinho, Alexandrino Matos, Rui Costa, Joel Campos, António Amaro, Manuela Antunes, Carla Mendes, Joge Carneiro, Padre Costa Pinto, Francisco Louçã, Marisa Matias, Miguel Portas, Pedro Soares, Magaça

PORTAGENS NAS SCUTS A25 e A24:PS DIZ “ESFOLA” E PSD “ESFOLA TODOS”! PDF Imprimir e-mail
01-Jul-2010
   Opinião
Texto de Carlos Vieira
portagem_placa.jpgEm Portugal as vuvuzelas calaram-se para dar lugar às buzinadelas. Buzinadelas contra as portagens nas SCUTS, claro. Mas tal como há craques da bola que falam muito e jogam pouco, também por cá temos muitos políticos que enchem a boca com o desenvolvimento regional, com a defesas do interior, mas, depois, quando é preciso tomarem posições claras, jogar à defesa das populações e atacar quem ameaça o desenvolvimento de regiões do interior como a nossa, mostram o que valem,  ao que vêm e a quem servem.
    Na passada segunda-feira, 28 de Junho,  na sessão da Assembleia Municipal de Viseu, o PSD e o CDS reprovaram, com dez abstenções da bancada do PS, a moção que o Bloco de Esquerda apresentou contra a introdução de portagens nas SCUTS A25 e A24. O PSD justificou o voto contra por defender o princípio do “utilizador-pagador”. O deputado municipal Almeida Henriques apresentou uma moção onde defende a posição do PSD nacional, que, como sabem, exigiu ao governo que só aceitava a introdução de portagens se fossem aplicadas em todas as SCUTS, sem excepção. Eis a linha que separa o PSD do PS: a linha mais comprida do chicote. PS diz “mata”, PSD diz “esfola”. PS esfola, PSD exige “esfola todos”! Como se uma injustiça fosse mais tolerável se aplicada universalmente. 
   A moção apresentada pelo PSD na Assembleia Municipal de Viseu fala, é certo, na “discriminação positiva” dos residentes e empresas com sede no distrito, pelo facto de não existir via alternativa para estes percursos. Mas, a isenção para residentes e empresas do distrito não evita o prejuízo para a actividade económica da região, já que as matérias-primas e os produtos que entram no nosso distrito, por transportadoras de outras regiões, e os produtos cultivados ou produzidos na região que sejam também “exportados” através de empresas externas à região, verão aumentados os custos de transporte e de produção. As portagens na A25 e na A24 serão, assim, um desincentivo ao investimento empresarial no nosso distrito.
    Também  o turismo, um dos sectores mais pujantes da economia portuguesa (8% do PIB e 10% do emprego), que na nossa região, com um património histórico e natural riquíssimo, está longe de ser bem aproveitado e induzir efeitos multiplicadores noutras áreas económicas,  não deixará de ser afectado pela introdução de portagens na A25 e na A24.  Fernando Ruas enganou-se quando disse que achava mal que um alemão pague portagens em França e Espanha e não pague em Portugal. Na verdade, em Espanha só as “autopistas” têm portagem, mas não se paga na maioria das auto-estradas, as “autovias”, que começaram por ser a simples duplicação de estradas radiais ou nacionais, tal como as SCUTS A25 e A24, mas hoje, as da última geração, quase não se distinguem das autopistas, em termos de segurança.
    As SCUTs – auto-estradas “Sem Custos para o Utilizador”, foram assim designadas precisamente para contribuírem para a coesão territorial, discriminando positivamente as regiões mais deprimidas, como a nossa, onde os indicies de desenvolvimento estão abaixo da média nacional (antes do alargamento da União Europeia, a Região Centro encontrava-se entre as dez regiões mais pobres da Europa).
    Por outro lado, as antigas estradas nacionais não podem ser consideradas vias alternativas, uma vez que passam por dentro das povoações e até têm troços municipalizados. Um ex-director de Estradas do distrito de Viana do Castelo alerta para o perigo da transferência de tráfego para  estradas nacionais que não passam de ruas mal conservadas, aumentando os atropelamentos e a sinistralidade.
     Presidentes de câmaras dos distritos de Viseu e da Guarda, já se manifestaram contra as propostas do PS e do PSD. O autarca de Lamego, lamentou que as populações de Arouca e Armamar, só porque os seus concelhos não são atravessados pelo IP4, se precisarem de ir a Lamego ou a Viseu já terão de pagar portagens. Na Assembleia Municipal de S. Pedro do Sul, foi aprovada, com 3 abstenções, uma moção dos deputados do Bloco de Esquerda, idêntica à que foi chumbada em Viseu, pelas tropas locais de Almeida Henriques e Mota Faria.  O presidente da Câmara de S. Pedro do Sul, face à proposta do PS que deixa o seu concelho de fora dos abrangidos pelas isenções, ameaça com portagens na EN16. 
     Como denunciava a moção do BE, “o PS e o PSD dizem-nos  que não há alternativa ao pagamento de portagens, apesar da crise e por causa dela, para equilibrar as contas públicas e pagar as dívidas aos bancos alemães e franceses. O Bloco de Esquerda já apresentou soluções bem mais justas e equilibradas para ir buscar o dinheiro a quem o tem: taxar o IRC dos bancos em 25%, o mesmo que paga qualquer pequena e média empresa, e taxar em 25% as transferências de dinheiro para paraísos fiscais.”
    Sem vias alternativas, não pagamos!

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
© 2021 Bloco de Esquerda - Distrito de Viseu
Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.