Home arrow SCUT's arrow SEM VIAS ALTERNATIVAS NÃO PAGAMOS PORTAGENS, NEM COM DESCONTOS!
Menu
Home
Notícias
Documentos
Agenda
Jovens
Comunidade
Opinião
Vídeos - Documentários
Foto Galeria
Dossiers
SCUT's
Universidade de Viseu
Serviço Finanças 2
Minas da Urgeiriça
Jornadas Parlamentares
Newsletter






a_tuabeira.gif 
     Car@ leit@r esta é uma
     secção sua.
     Uma secção onde serão
     publicadas as opiniões
     que nos enviarem com
     esse fim.
     Os textos deverão ser
     enviados para o e-mail:
      Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o JavaScript terá de estar activado para que possa visualizar o endereço de e-mail
     Não podemos publicar
     textos não assinados
     ou insultuosos.
adere.gif
Assina/segue-nos no:


Recebe automaticamente por email as novas notícias:


Insere o teu email


twitter-birds.png

Add to Google Reader or Homepage 

Outros

 

Site do Bloco de Esquerda de Viseu, Bloco, b.e., Esquerda de Confiança, Juntar Forças, São Pedro do Sul, Vouzela, Tabuaço, Oliveira de Frades, Santa Comba Dão, Penedono, Penalva do Castelo, Nelas, Mortágua, Tondela, Vila Nova de Paiva, Tarouca, Armamar, Resende, Cinfães, Carregal do Sal, Sernancelhe, São João da Pesqueira, Sátão, Coração de Jesus, Rio de Loba, Campo, Abraveses, São José, Orgens, António Minhoto, Osvaldo Numão, Maria Graça Pinto, Carlos Vieira, Carlos Couto, Daniel Nicola, Bandeira Pinho, Alexandrino Matos, Rui Costa, Joel Campos, António Amaro, Manuela Antunes, Carla Mendes, Joge Carneiro, Padre Costa Pinto, Francisco Louçã, Marisa Matias, Miguel Portas, Pedro Soares, Magaça

SEM VIAS ALTERNATIVAS NÃO PAGAMOS PORTAGENS, NEM COM DESCONTOS! PDF Imprimir e-mail
11-Jul-2010
   Opinião
Texto de Carlos Vieira e Castro

scut-nao.jpgA votação, na passada sexta-feira, da apreciação parlamentar do decreto-lei que cria as portagens, pedida pelo PCP e pelo BE, mostrou que PS e PSD estão a tocar a quatro mãos, num piano desafinado, com o apoio do CDS, orgulhosamente sentado ao seu lado a virar-lhes as pautas rasuradas. De facto, com as abstenções do PSD e do CDS, bastou os votos contra do PS para derrotar a pretensão dos partidos da esquerda, que são os únicos a defender as justas reivindicações das populações que estão contra o pagamento de portagens nas SCUTs que não têm vias alternativas, como é o caso da A25 e da A24 que servem a nossa região. 
    Passos e Sócrates, farinha do mesmo saco, escoram-se mutuamente. Passos dá uma mãozinha ao governo para que não caia cedo de mais (já que a crise veio para ficar) e tenha que ser o PSD a fazer o papel de mau da fita, e Sócrates retribui deixando que o líder laranja pareça o vice-primeiro ministro.   
Mas, o PSD fica muito mal no retrato. O governo, depois da trapalhada das isenções em 46 concelhos, cedeu às propostas do PSD, que acordou com o PS negociações no sentido de cobrar portagens em todas as SCUTs, limitando-se a isentar as populações e empresas locais nas primeiras dez passagens e a fazer descontos de 15 por cento a partir daí, mas apenas até 1 de Julho de 2012, e só nos concelhos que fiquem a menos de 20 km das auto-estradas. A partir de 2012, os descontos só são aplicados nos concelhos com um PIB de 80%, no máximo, da média nacional.
    Trata-se de um verdadeiro imposto encapotado. Daí que já haja autarcas e deputados de ambos os partidos do bloco central a distanciarem-se das respectivas direcções partidárias.
    A Assembleia Municipal de Vila Real aprovou uma moção contra o pagamento de portagens na A24, com votos de todos os partidos, PS, PSD, CDS, BE e CDU, e 20 votos contra, incluindo o do presidente da AM, Pedro Passos Coelho, que se justificou por ser contra as isenções para residentes,  só admitindo o “pagamento diferenciado”, ou seja, com descontos.
    Também os dirigentes locais do PSD, de Almeida Henriques a Fernando Ruas, dizem que todos devem pagar portagens, defendendo antes uma “discriminação positiva” para as populações e empresas locais nas SCUTs cujos traçados, como é o caso da A25 e da A24, se sobrepuseram aos IPs. Note-se que a A25 é a SCUT que tem mais quilómetros  sobrepostos à via que substituiu,  o IP5.
    Agora, porém, ficamos todos a saber que a “discriminação positiva” defendida pelo PSD quer dizer descontos. Mas, com descontos ou sem descontos, o resultado é tudo menos positivo. Além de negativo é discriminatório. Porque, ao privarem as populações do seu direito à livre mobilidade, estão a condenar a região ao subdesenvolvimento. As portagens, ainda que com descontos, serão sempre um desincentivo à circulação de pessoas e mercadorias pelas regiões mais desertificadas do interior. A economia da região irá ressentir-se, não só pelo aumento dos preços dos transportes, como dos custos de produção, que irão onerar os preços ao consumidor.
    O PSD utilizou um truque, uma manobra de prestidigitação, ao adaptar o princípio do “poluidor-pagador”, aplicável a quem comete um crime contra o ambiente, ao que chamou “o princípio do utilizador-pagador”. Este “princípio” deriva da ideologia neoliberal que levou o mundo à actual crise financeira e social e mais não pretende do que acabar com o Estado Social, ou seja, com a universalidade dos serviços sociais, garantidos a todos os cidadãos pelo dinheiro dos impostos. A justiça social começa por aí, pela cobrança de impostos de acordo com a riqueza de cada um. Mas, o que os neoliberais querem é que continue a fuga aos impostos (por isso não querem acabar com os “off-shore”) e que só quem utilize os serviços públicos (hospitais, escolas, lares de idosos) é que pague esses serviços. O resultado seria a descapitalização dos serviços públicos, já que os ricos seriam, na sua maioria, tratados nos hospitais privados e mandariam os filhos estudar nas escolas privadas (embora, por vezes, prefiram a superior qualidade das públicas). O truque passa pela transposição da criminalização do poluidor para o utilizador. Mas o único crime, aqui, é cobrar dinheiro pelo direito à livre circulação dos cidadãos.
    Não pagamos! Sem vias alternativas, não pagamos!

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
© 2021 Bloco de Esquerda - Distrito de Viseu
Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.