Home arrow Opinião arrow REMODELAÇÃO VINGA DALILA RODRIGUES
Menu
Home
Notícias
Documentos
Agenda
Jovens
Comunidade
Opinião
Vídeos - Documentários
Foto Galeria
Dossiers
SCUT's
Universidade de Viseu
Serviço Finanças 2
Minas da Urgeiriça
Jornadas Parlamentares
Newsletter






a_tuabeira.gif 
     Car@ leit@r esta é uma
     secção sua.
     Uma secção onde serão
     publicadas as opiniões
     que nos enviarem com
     esse fim.
     Os textos deverão ser
     enviados para o e-mail:
      Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o JavaScript terá de estar activado para que possa visualizar o endereço de e-mail
     Não podemos publicar
     textos não assinados
     ou insultuosos.
adere.gif
Assina/segue-nos no:


Recebe automaticamente por email as novas notícias:


Insere o teu email


twitter-birds.png

Add to Google Reader or Homepage 

Outros

 

Site do Bloco de Esquerda de Viseu, Bloco, b.e., Esquerda de Confiança, Juntar Forças, São Pedro do Sul, Vouzela, Tabuaço, Oliveira de Frades, Santa Comba Dão, Penedono, Penalva do Castelo, Nelas, Mortágua, Tondela, Vila Nova de Paiva, Tarouca, Armamar, Resende, Cinfães, Carregal do Sal, Sernancelhe, São João da Pesqueira, Sátão, Coração de Jesus, Rio de Loba, Campo, Abraveses, São José, Orgens, António Minhoto, Osvaldo Numão, Maria Graça Pinto, Carlos Vieira, Carlos Couto, Daniel Nicola, Bandeira Pinho, Alexandrino Matos, Rui Costa, Joel Campos, António Amaro, Manuela Antunes, Carla Mendes, Joge Carneiro, Padre Costa Pinto, Francisco Louçã, Marisa Matias, Miguel Portas, Pedro Soares, Magaça

REMODELAÇÃO VINGA DALILA RODRIGUES PDF Imprimir e-mail
09-Fev-2008
isabel_pires_lima_rem.jpgIsabel Pires de Lima deixa atrás de si um "rasto de destruição e retrocesso" na Cultura portuguesa, como é referido na petição que já ia perto de três mil artistas, criadores e agentes culturais, dirigida ao primeiro ministro a exigir a sua demissão. São quase mais mil pessoas do que as que subscreveram a petição on-line de apoio a Dalila Rodrigues, repudiando o seu afastamento de directora do Museu Nacional de Arte Antiga, onde estava a fazer um trabalho notável, como já tinha feito no Museu Grão Vasco. 
"Há horas felizes!" Não para a ex-ministra da Cultura, que até se pode sentir aliviada por ter sido autorizada pela Comissão de Ética da AR a regressar ao Parlamento, mas, sobretudo para Dalila Rodrigues que, um dia depois de Isabel Pires de Lima ter sido despedida, lançou em Viseu, no Teatro Viriato, o seu livro sobre "Grão Vasco". Trata-se de uma edição muito cuidada da "Aletheia Editores", com um excelente grafismo. Dalila Rodrigues, numa linguagem acessível, repõe a verdade sobre alguns mitos biográficos do mestre renascentista e analisa a evolução da sua obra, relacionando-a com as paisagens e as personagens que rodeavam o "Grande Vasco". Para os viseenses será ainda uma oportunidade de viajar no tempo pelas ruas e ambientes da Viseu quinhentista de que ainda restam belos vestígios.

Muita gente esteve presente no Teatro Viriato, com representantes oficiais, civis, militares e religiosos (o bispo de Viseu esteve na mesa, ao lado da editora Zita Seabra, do "sponcer" Fernando Ruas, e do anfitrião Paulo Ribeiro, talvez numa espécie de alusão histórica à importância que teve a Igreja, a principal encomendante das obras de Gão Vasco e à "a acção decisiva do bispo D. Miguel da Silva não apenas no percurso artístico do pintor, mas nas reformas que promoveu na cidade", como diz a autora no livro). Porém, não devemos esquecer que foi no Renascimento que começou a separação da Igreja e do Estado, com o próprio Estado Papal (com os Bórgias, por exemplo) a lançar-se na secularização à medida que ia aumentando o seu poder terreno e o seu pecaminoso epicurismo. Boccaccio e Maquiavel testemunharam-no.

Mas, no meio de tanta gente, uma ausência inundou o espaço acanhado do "foyer" do Teatro Viriato: a da actual directora do Museu Grão Vasco. Ouvi dizer que uma consulta médica a obrigou a fazer-se representar por um elemento da equipa técnica do museu. Equipa que, aliás, esteve presente em peso, num reconhecimento pela competência de Dalila Rodrigues na direcção de uma equipa que tinha estado e continua a estar subaproveitada e sujeita a pressões e perseguições. Ana Pais Abrantes respondeu, em entrevista ao Diário Regional, às críticas de Dalila Rodrigues à ausência de projecto da actual directora, afirmando que tinha feito várias iniciativas: para além de trabalhos de restauro, promoveu o "Museu porta a porta" que "foi muito bem recebido pelo Hospital de S. Teotónio". Não duvido que o Hospital, ao ver o estado do museu, lhe tenha dado prioridade máxima no serviço de urgência.

Até Fernando Ruas, a quem Dalila agradeceu o apoio ao livro, disse ter saudades das parcerias que fez com o Museu no tempo em que ela foi directora.

carlosvieira.jpg
 Carlos Vieira 
 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Destaque
bannercp11.jpg
Gui Direitos Estudante
brochuraestudantes.jpg
virus_12.jpg
Sites do Bloco

be_esq.jpg
grupo_parlamentar_copy.png
be_sitebe.jpg
 beinternacional.jpg
videos_parlamento.jpg 
videos_campanha.jpg
livraria_online_copy_copy.gif

be_ecoblog.jpg

Bloco no FacebookBloco no MySpace

 Bloco no TwitterBloco no Youtube

 Bloco no hi5Bloco no Flickr

Online
Temos 1 visitante em linha
© 2024 Bloco de Esquerda - Distrito de Viseu
Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.