Home arrow Opinião arrow Geração à Rasca
Menu
Home
Notícias
Documentos
Agenda
Jovens
Comunidade
Opinião
Vídeos - Documentários
Foto Galeria
Dossiers
SCUT's
Universidade de Viseu
Serviço Finanças 2
Minas da Urgeiriça
Jornadas Parlamentares
Newsletter






a_tuabeira.gif 
     Car@ leit@r esta é uma
     secção sua.
     Uma secção onde serão
     publicadas as opiniões
     que nos enviarem com
     esse fim.
     Os textos deverão ser
     enviados para o e-mail:
      Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o JavaScript terá de estar activado para que possa visualizar o endereço de e-mail
     Não podemos publicar
     textos não assinados
     ou insultuosos.
adere.gif
Assina/segue-nos no:


Recebe automaticamente por email as novas notícias:


Insere o teu email


twitter-birds.png

Add to Google Reader or Homepage 

Outros

 

Site do Bloco de Esquerda de Viseu, Bloco, b.e., Esquerda de Confiança, Juntar Forças, São Pedro do Sul, Vouzela, Tabuaço, Oliveira de Frades, Santa Comba Dão, Penedono, Penalva do Castelo, Nelas, Mortágua, Tondela, Vila Nova de Paiva, Tarouca, Armamar, Resende, Cinfães, Carregal do Sal, Sernancelhe, São João da Pesqueira, Sátão, Coração de Jesus, Rio de Loba, Campo, Abraveses, São José, Orgens, António Minhoto, Osvaldo Numão, Maria Graça Pinto, Carlos Vieira, Carlos Couto, Daniel Nicola, Bandeira Pinho, Alexandrino Matos, Rui Costa, Joel Campos, António Amaro, Manuela Antunes, Carla Mendes, Joge Carneiro, Padre Costa Pinto, Francisco Louçã, Marisa Matias, Miguel Portas, Pedro Soares, Magaça

Geração à Rasca PDF Imprimir e-mail
11-Mar-2011

Opinião
Texto de Maria da Graça M. Pinto

Amanhã, dez cidades de diversas regiões do país e muitas outras no estrangeiro serão palco de manifestações convocadas pelo movimento Geração à Rasca, a que já aderiram através do face-book dezenas de milhares de cidadãos.

Numa Carta Aberta à Sociedade Civil, os organizadores desta iniciativa , declaram estar em consonância com a Carta Universal dos Direitos Humanos e enunciam como objectivo o protesto contra a situação de quem está desempregado ou não tem a mínima estabilidade laboral .Exigem melhores condições de trabalho e o reconhecimento de qualificações e competências traduzidos em salários dignos.

O movimento Geração à Rasca que se assume como laico, apartidário e pacífico, tem como bandeira o inconformismo dos jovens com as políticas geradoras da precariedade. Protesta contra as políticas responsáveis pela frustração das expectativas de quem investiu esforço e dinheiro em formação, para depois ver as suas vidas adiadas . Recusa o argumento da inevitabilidade da instabilidade laboral e exige o reconhecimento de competências e um trabalho digno.

E há razões para um nível tão elevado de descontentamento dos jovens? Estarão eles, como afirmam alguns, a vitimizar-se num momento em que a maioria dos portugueses paga a factura da crise?

Não poderíamos estar mais em desacordo com quem vê neste movimento a pretensão de ter mais direitos do que os das restantes gerações. A nosso ver, o que está em causa não é uma oposição geracional. Ao contrário , a luta dos jovens por condições de trabalho dignas é parte integrante da luta de todas as gerações sacrificadas pelas políticas que agravaram exponencialmente o desemprego e a precariedade que se consubstancia já na existência de cerca de dois milhões de desemprecários.

E se é verdade que a instabilidade laboral é transversal a várias gerações, é, também, inegável que os jovens são particularmente afectados pela precariedade, já que em dez de novos postos de trabalho criados cerca de nove são precários e são ocupados sobretudo por jovens.

Acresce que o desemprego e a precariedade extravasam em muito o campo laboral traduzindo-se numa verdadeira precarização da vida, num estado de permanente instabilidade e incerteza, que, no caso dos jovens, bloqueia a sua emancipação, obriga-os a depender das famílias e impede-os de terem um projecto de vida autónomo.

Intervir politicamente, no sentido mais nobre da expressão é recusar ficar de braços cruzados e fazer escolhas e as manifestações de amanhã são a prova de que os jovens não desistem da intervenção política e estão dispostos a lutar contra a escravatura dos mercados e pelo trabalho com direitos.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
Destaque
bannercp11.jpg
Gui Direitos Estudante
brochuraestudantes.jpg
virus_12.jpg
Sites do Bloco

be_esq.jpg
grupo_parlamentar_copy.png
be_sitebe.jpg
 beinternacional.jpg
videos_parlamento.jpg 
videos_campanha.jpg
livraria_online_copy_copy.gif

be_ecoblog.jpg

Bloco no FacebookBloco no MySpace

 Bloco no TwitterBloco no Youtube

 Bloco no hi5Bloco no Flickr

Online
Temos 1 visitante em linha
© 2023 Bloco de Esquerda - Distrito de Viseu
Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.